sábado, 2 de outubro de 2010

Tal como Sisífo...

Ao  conseguir reerguer meu coração
Elevando-o ao mais alto monte,
Surge minha sina, maldição,
faz parte do meu horizonte

Tal Sisifo, em trabalho constante
Caminho tortuoso, íngreme
Dores profundas, torturantes
Ferida sem cicatriz..sangra-me

E ao chegar ao topo, escorrego
Castigo merecido, não nego
E vejo o velho coração a rolar

Mas à tristeza não me entrego
Nenhum sentimento sonego
E meu coração, novamente, tento elevar...

Gilson Costa