sábado, 23 de outubro de 2010

Habeas Corpus (Marta Peres)

Habeas Corpus
Marta Peres

enterrei minhas sobras
e sombras falantes
quando saí de tuas mãos
meus olhos que sangraram
ao segurar dores e gritos
hoje celebram a ressurreição

tortura imposta
pena cumprida
amores sem resposta
jazem dores em mim

apago erros, culpas
vasculho meu interior
nada salta, tudo é cinza
perdão não cura nem espanta
mas sobrevivi livre da tua prisão