domingo, 10 de outubro de 2010

o que eramos...

o que éramos no futuro que passou,
o que serremos no passado seguinte...
e o que é o tempo
...o arrastar das horas,
o despertar das noites,
o sono interrupto dos dias...
não, realmente não sei de versículos
apóstolos, versos aproficos,
mal sei de mim.
Do que como, do que bebo
do que sonho...
do que passei, do que fiz
e do que sou...
hoje eu quero a paz
de cemitério...
quero o amor romântico
dos livros com final feliz
não quero luta
nem tiro no peito
quero o afago de mãos carinhosas
e ter a certeza
que as nostalgias que terei amanhã
serão dos beijos que roubei hoje
e não das besteiras que fiz...
porque ha tantas besteiras
para se "nostalgiar"...

@gilsoncosta42