sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Pensamentos Mortais

És meu na doce eternidade dos meus pensamentos
Na agonia da minha alma em ter-te
Na impossibilidade da distância que rege nossos caminhos incertos
Me aventuro nos meus escritos a dizer-te o que sinto
Como uma doce poetisa encantada
com sua capacidade de me deixar confusa
a cada encontro
Seu poder me encanta, as nossas diferenças me intrigam
Sua procura por mim te atrai a ti
E quando menos espero... Apareces!
Rouba minha atenção com sua atenção.
Quando a tormenta acabará?
Se é obesessão que sejamos obsecados um pelo outro
Mais se não for...:
Esqueça-me! 
Não me torture!
Sou obsecada pela idéia de morder-te
E descobrir que realmente és:

Um Vampiro a Minha Espera!
Morda-me!
Malu Freitas