segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Alimento minha alma


 Alimento minha alma
De oração e de festa
Mas sei que há uma fresta
Onde o mal habita
As vezes ele vem
Cogita, agita
Então me entrego a ele
Com prazer
Este é o meu ser,
So tenho que saber
Doma-lo sim
Para que ele
Não dome a mim

Alimento minha alma
Com água e vinho
As vezes cambaleio
pelo caminho
as vezes a bebida
os olhos turvas
e vou em frente
quando era para fazer
a curva...

Alimento minha alma
com o bem e o mal
e quem vence afinal
é quem eu dar mais comida
se há um anjo em mim
há um monstro
que também habita minha vida
e posso te dizer uma verdade
é assim com toda
humanidade

Gilson Costa