terça-feira, 29 de março de 2011

A Lição do Rato...


Um rato, olhando pelo buraco na parede, vê o fazendeiro e sua esposa abrindo um pacote. Pensou logo no tipo de comida que haveria ali. Ao descobrir que era uma ratoeira ficou aterrorizado. Correu ao pátio da fazenda advertindo a todos:

- Há uma ratoeira na casa, uma ratoeira na casa !!

A galinha disse:

- Desculpe-me Sr. Rato, eu entendo que isso seja um grande problema para o senhor, mas não me prejudica em nada, não me incomoda.

O rato foi até o porco e disse:

- Há uma ratoeira na casa, uma ratoeira !

- Desculpe-me Sr. Rato, disse o porco, mas não há nada que eu possa fazer, a não ser orar. Fique tranquilo que o Sr. Será lembrado nas minhas orações.

O rato dirigiu-se à vaca. E ela lhe disse:

- O que ? Uma ratoeira ? Por acaso estou em perigo? Acho que não !

Então o rato voltou para casa abatido, para encarar a ratoeira.

Naquela noite ouviu-se um barulho, como o da ratoeira pegando sua vítima. A mulher do fazendeiro correu para ver o que havia pego.

No escuro, ela não viu que a ratoeira havia pego a cauda de uma cobra venenosa. E a cobra picou a mulher... O fazendeiro a levou imediatamente  ao hospital. Ela voltou com febre.

Todo mundo sabe que para alimentar alguém com febre, nada melhor que uma canja de galinha. O fazendeiro pegou seu cutelo e foi providenciar o ingrediente principal.

Como a doença da mulher continuava, os amigos e vizinhos vieram visitá-la. Para alimentá-los, o fazendeiro matou o porco. A mulher não melhorou e acabou morrendo.

Muita gente veio para o funeral. O fazendeiro então sacrificou a vaca, para alimentar todo aquele povo.

Moral da História:
Na próxima vez que você ouvir dizer que alguém está diante de um problema e acreditar que o problema não lhe diz respeito, lembre-se de que quando há uma ratoeira na casa, toda a fazenda corre risco.
O que é ruim para alguém é ruim para todos...
O problema de um é problema de todos!
Somos parte da corrente, não temos como ficar alheios ao que nos rodeia.
'Nós aprendemos a voar como os pássaros, a nadar como os peixes, mas ainda não aprendemos a conviver como irmãos"

sexta-feira, 25 de março de 2011

nossa troca virtual


Esse desejo insano
que me consome,
me aquece as fantasias
me inspira...

Me alimento em suas poesias...
elas rompem todas minhas barreiras
que me levam
e elevam do meu ser...
que transcendem meu corpo.

Corrompem os meus sentidos...
mistura os nossos espíritos
todas às  noites..

Me vejo em ti...
Te sinto...
aqueces a minha existência
esqueço de tudo...

Nos instantes delirantes
onde sinto o teu toque...
satisfação toda minha.

E se é realmente não sei
sinto que arde um fogo....
incendiando nossos sonhos
compartilhando cumplicidade
num desejo interminável...

Adoro essa nossa troca virtual,
pois te sinto como real !!

*Desconheço o autor

Eu te devoro...

eu te devoro em pensamentos
e na minha nada casta
imaginação
te vejo nua,
roupas pelo chão
te vejo minha
submissa, a disposição
eu te devoro
em minhas poesias
que de santas, não tem nada
percorro teu corpo
em minhas madrugadas
sinto teu gosto...
teu perfume é minha alvorada
eu te devoro
a cada pedaço,vagarosamente
sorvendo cada desejo teu
futuro mais que presente
pois em minha devassa mente
voce ja me pertence
Gilson Costa

quinta-feira, 24 de março de 2011

E como seria nos dois


E como seria nos dois
Sinfonia
Química pura
Ou uma expressão
Algébrica de difícil solução...

E como seria nos dois
Regra ou exceção
Soma ou divisão
Rio ou oceano
Seda
Ou qualquer outro
Tipo de pano?

E como seria nos dois
Côncavo e convexo
Ou tudo sem nexo???

Gilson Costa

UM começo, o Meio e o Fim


No meio do começo havia um fim,
Havia um fim no meio do começo...
Fim que se julgava o começo,
Um começo que não tinha meio
E não justificava o fim,
O meio longe do começo
E distante do fim...
No começo do fim havia um meio
Havia um meio no começo do fim,
Começo que já era o fim
Fim que não sabia o que era meio
E o meio perdido entre
Estes dois extremos
Não sabia se era o começo do fim
Ou o fim de um começo...

Gilson Costa

A mulher que passa


Meu Deus, eu quero a mulher que passa
Seu dorso frio é um campo de lírios
Tem sete cores nos seus cabelos
Sete esperanças na boca fresca!
Oh! como és linda, mulher que passas
Que me sacias e suplicias
Dentro das noites, dentro dos dias!

Teus sentimentos são poesia
Teus sofrimentos, melancolia.
Teus pelos leves são relva boa
Fresca e macia.
Teus belos braços são cisnes mansos
Longe das vozes da ventania.

Meu Deus, eu quero a mulher que passa!

Como te adoro, mulher que passas
Que vens e passas, que me sacias
Dentro das noites, dentro dos dias!
Por que me faltas, se te procuro?
Por que me odeias quando te juro
Que te perdia se me encontravas
E me concontrava se te perdias?

Por que não voltas, mulher que passas?
Por que não enches a minha vida?
Por que não voltas, mulher querida
Sempre perdida, nunca encontrada?
Por que não voltas à minha vida
Para o que sofro não ser desgraça?

Meu Deus, eu quero a mulher que passa!
Eu quero-a agora, sem mais demora
A minha amada mulher que passa!

Que fica e passa, que pacífica
Que é tanto pura como devassa
Que bóia leve como a cortiça
E tem raízes como a fumaça.


Vinícius de Moraes

Definitivamente...


Definitivamente
Esta na hora de fazer
Uma nova poesia,
Novas rimas, novas estrofes.
Um novo mote...

Esta na hora de ler
Um outro livro,
Esta historia acabada
Não vai dar em nada
Nem suspense, nem romance,
Menos ainda conto de fadas.

Hora de procurar
Outra estrada
Outro caminho
Visto que nesse
Continuo sozinho
E o horizonte
Cada vez mais distante
E eu caminhante errante,

Hora de buscar
Em outros universos
A inspiração para meus versos...

Gilson costa

Eu prefiro assim

Prefiro pele com pele
Ouvir teus gemidos,
O total descontrole
Dos sentidos,
Tua boca na minha
Este encaixe perfeito
Teu corpo suado
Jogado em meu leito

Prefiro assim
Você exposta pra mim
Ali bem do meu lado
Ao alcance do meu desejo,
Do mais casto
Ate o mais safado
Nua
Desnuda de pudor
Para varias horas de amor

Assim prefiro...
Gilson Costa

quinta-feira, 17 de março de 2011

NÃO NASCI POEMA



Não nasci poema, mas sou propenso
À palavra que passa como um cometa
Do que poema sou bem menos intenso
Sou a palavra crua que me dá na veneta

Vago de versos, apenas um poeta pretenso
Sou quase só aquele que mexe a caneta

Não nasci poema, mas sou propenso
À palavra que passa como um cometa

Que com fulgor de rasgar um vazio imenso
De parir uma estrela ou destruir um planeta
Com a força que leva cada palavra que penso
Desde que a toda essa poesia não comprometa


Não nasci poema, mas sou propenso...

Denise Severgnini
Marcos Lizardo

http://silviamota.ning.com/profiles/blog/show?id=5503497%3ABlogPost%3A43550&xgs=1&xg_source=msg_share_post

domingo, 13 de março de 2011

A poesia é explícita


A poesia é explícita em cada sílaba,
Que a lira solta do meu ardente peito.
Rompendo toda mácula, que compõe o meu leito.
À sombra do carvalho bento, as feridas...

Lambidas na explícita tortura dos orgasmos!
E o chão treme em decibéis de saudade!
No meu e teu olhares...tanta vontade!
De sermos elos nos particípios braços!

E que vejamos a poesia torna-se forte,
Traçando em nossos corpos cinzéis de espumas!
No amor, lanças que por miras são o norte...

Os teus pontos cardeais de infinitas brumas,
Hão de me levar ao céu por coronárias procuras
E morta aos teus braços...sou a sorte!


(Ledalge, POESIA EXPLÍCITA)

Quero


Quero você fêmea em minha cama,
Felina, menina, safada, dama.
Nossos corpos a travar uma luta,
Quero-a mulher, sedenta...puta.

Sem pudor, louca de vontade.
Sexo puro de verdade
Selvagem com intensidade
Saciando nossa voracidade.

Quero você, mulher, inteira,
Alimentando todos meus desejos
E me desfazer em cansaço.

Quero você, mulher faceira,
Acabar-me em seus beijos
Rejuvenescer em seus braços

Gilson Costa

O livro de sua vida


Não
Eu não conheço o livro de sua vida
Pagina ainda não lida,
Historia a ser escrita
Matemática a ser decifrada
Hoje, eu não sei de nada

Não sei o que esconde
Atrás desta sua capa
Se poesia ou apenas uma ata
Se aventura  ou romance
Não sei qual nuance

O que vou ler em você
O que vou descobrir
Nem imagino
O livro do teu destino
Que esta em minha estante
Pronto para ser lido
Viajar em tuas palavras
Não te largar por nada

Ah...abra-se pra mim
Uma historia sem fim
Te dou a certeza
Que te dedilharei
Com paixão e toda delicadeza
Sorvendo
Cada instante de sua beleza

Gilson Costa



VERBOS, POR TI

Revelar-me somente ante teu beijo,
dócil ato que espero, em desespero,
pois meu corpo te aguarda, novamente,
na distância de alguma madrugada,
para tomar-te em meus braços,
linda amante...
sem limites, sem tempo, sem ressalvas.

Dominar-te suave, cravando dentes
nessa pele em que já eriçam pêlos,...
e se as mãos limitam teus movimentos
liberdade te chega por entre orgasmos...
para fazer de ti, a minha mulher,
loucamente...
a andar sobre os meus rastros.

Saciar-te os desejos mais ousados,
batizar novas loucuras com teu nome,
de tua carne jamais sentir-me farto,
aos teus olhos ser rei, teu deus e homem...
tendo sempre em teu amor
meu horizonte...
fonte eterna de augusta felicidade.
    
lobo do mar (André L. Soares – 09.11.06 – Guarapari/ES)

Castigo


Prenderei teus lábios nos meus
Com a força dos meus sedentos beijos
Moles, molhados e sacanas
Que darei em você na nossa cama...

Calarei tua boca colando minha boca na sua
Você minha, toda nua assim o beijo mole, continua
Emudecerei teu corpo, sob e sobre meu
Dilatarei seus sentidos com os meus

Movimentos,  extasio-a com nosso êxtase conjunto
Teu corpo será minha casa
Possuirei-te feito minha escrava
Amordaçarei minhas mãos nos teus cabelos
Embriagarei teu ser no meu cavalgar
Renasceremos ao nos amar.

Vou me perder em teu desejo
Laçando-a em meus abraços
Vou te torturar em nossos amassos,
Dando menos do que me pede
Domando o desejo que te impele
Arranhando toda a sua pele
Marcando assim os meus domínios
Serei teu homem, teu macho, não teu menino.

Serás minha serva
Minha seiva, meu divino alimento,
E ira alimentar-me a todo momento,
Saciar minha fome de você
Que para acabar, nunca terá um tempo

Gilson Costa

Paixão



DIZEM QUE A PAIXÃO,
ARREBATA-NOS E FASCINA.
ENVOLVE-NOS, DOMINA
VEM E NEM NOS AVISA...

DIZEM QUE A PAIXÃO
LEVA-NOS A REBOQUE
EXPLODE A QUALQUER TOQUE
ALTA VOLTAGEM, CHOQUE

DIZEM QUE A PAIXÃO
É ESTAGIO DA LOUCURA
DOENÇA QUE NÃO TEM CURA
EMBARCAÇÃO NADA SEGURA

DIZEM QUE A PAIXÃO
EMBRIAGA FEITO ABSINTO
PALAVRA, HOJE EU NÃO MINTO
EMBRIAGADO POR TI, EU ME SINTO...

GILSON COSTA

Possibilidades

Possibilidade existe
O destino que vai dizer
Ser feliz, ser triste.
Somente a escolha fazer.

Impossível não é viver
Bailando ao sabor dos fatos
Incrível é nosso ser
Levado, senhor de seus atos

Indescritível é a vida
Dádiva divina que nos foi dada
A uns que fazem dela muito
De outros temos nada.

Então possibilidade é a gente que faz
Somos tudo e nada, em busca de nossa paz

gilson costa

Gritos de uma alma

      
      Despenca
      no eco
      fortes  e confusas
      sensações.
      No jogo da vida,
      sentimentos
      num baralho
      de cartas
      sem naipes
      Sons viciosos
      de sonhos confusos
      nos becos obscuros
      das emoções.
      Abalos de medo
      Tsunamis no coração
      Caminhos e vales
      Raios e trovões
      Calos da vida
      Vida em ebulição
      

      Rosa Berg

O vestido by Adélia Prado



No armário do meu quarto
escondo de tempo e traça meu vestido
estampado em fundo preto.

É de seda macia desenhada em campânulas
vermelhas à ponta de longas hastes delicadas.
Eu o quis com paixão e o vesti como um rito,
meu vestido de amante.


Ficou meu cheiro nele, meu sonho, meu corpo ido.
É só tocá-lo, volatiza-se a memória guardada:
eu estou no cinema e deixo que segurem minha mão.
De tempo e traça meu vestido me guarda.

Adélia Prado

sexta-feira, 11 de março de 2011

Um poeta....



Um poeta é um rouxinol que se senta na escuridão,e canta para se confortar da própria solidão com seus próprios sons.
Seus ouvintes são homens arrebatados pela melodia de uma musica invisível, que se sentem comovidos e em paz, ainda que não saibam como nem porquê”


(Percy Bysshe Shelley)

quarta-feira, 2 de março de 2011

horas perdidas



é mais um dia
que se vai
mais um mêsssssss, um ano
qur nâo voltam mais
horas que vejo passar
que não tenho
como recuperar
horas que vejo passar...
sei que teremos
mas estas horas
que estou sem o teu ser
não consigurei mais reaver
e vai mais um dia
e com ele horas se vão
se tenhoa Eternidade
para viver nossa paixão
mas agora longe de você
vejo estas horas passar
horas que não vou recuperar

Gilson Costa

Viver

Quem nunca quis morrer
Não sabe o que é viver
Não sabe que viver é abrir uma janela
E pássaros pássaros sairão por ela
E hipocampos fosforecentes
Medusas translúcidas
Radiadas
Estrelas-do-mar...Ah,
Viver é sair de repente
Do fundo do mar
E voar...
voar...
cada vez mais alto
Como depois de se morrer!

Mario Quintana

tua intensidade


Não sabia o qur era o vinho
nectar são os teus carinhos
que ja tornaram meu feitiço
hoje você é meu vicio
e não sei mais viver sem isso

não tinha a tua intensidade
e ele entrou por meus poros
me preenchendo de verdade
meu ritmo foi aumentando
hoje não a como parar
você me comanda, me domina
faz parte do meu pensar

gilson costa

Beleza Negra II



é muito mais que um sorriso
é muito mais que corpo bonito
é a parte perfeita do paraiso
é lutar por aquilo que acredito

é ter e se orgulhar da pele escura
é curtir o cabelo crespo e duro
ter a consciencia segura
de lutar por um melhor futuro

se há outras formas de açoite
existem varias formas de lutar
beleza negra, negra como a noite
e se faze presente e não se calar

é muito maios que uma raça
é muito mais que um povo
é lutar contra o tempo que passa
é sempre ter coragem par começar de novo

Gilson Costa

Beleza Negra


Tua pele
é o mapa que preciso
para me encontrar
Maravilhosa cor
esta que Deus te deu sim
na pele a cor da noite
nos labios, sorriso de marfim.
E qundo sorri ilumina
as trevas que há em mim...
Além do que sua beleza
és digna de uma princesa
seria blasfémia te chamar
de Deusa Negra?

Deusa Negra olhai por (para) mim...

E não é so a aprte externa
seu interior é envolvente
sempre em guerra
contra njustiças deste mundo
sua beleza fica mais nitda então
seria blasfemia te achar a minha Redenção?
Se for, Deus me perdoe
soq uero prestar uma homenagem
para muçher-negra de verdade
que tem vibra e coragem
de assumir e lutar
por sua identidade

Gilson Costa

Pouco de mim


Pouco de mim
para você eu ofereço
talvez nem sonhar
contigo eu mereço
A vezes sinto
não ser nada
perto da pessoa iluminada
que deveria ser amada
de forma incondicional
acima do bem e do mal
devido a tua deidade
Verdade!
mesmoassim
sigo sonhando
te amando
na minha intensa teimosia
penso em você todo o dia
assim nunca te esqueço
mesmo sabendo
que pouco de mim
para você ofereço

Gilson Costa

QUEM SOU EU? (NEM EU SEI)


Poderia me definir
Por minhas palavras e poesias
Por aquilo que falo,
Mas... Eu me calo.

Poderia me definir
Por aquilo que sou,
Por aquilo que penso
Mas... Não sou tão pretenso.

Poderia me definir
Pelos meus passos
Pelo amor que sinto
Mas... Eu não minto.

Poderia me definir
Pela emoção
Pelo caminho que traço
Mas... Em mim ha o embaraço

Então minha alma
Pra você implora e choro,
Decifra-me ou te devoro!

(eu já estou me devorando, porque não consigo me decifrar

Amá-la

Amá-la

Voltei
E nem desfiz a mala,
Não arrumei a sala
E no som,
A musica se cala...
Olho ao redor,
Você não esta,
Você não fala.

Impossível amá-la.
A mala esta intacta
No mesmo lugar ficou
Amá-la regra de gramática
É verbo... sentimento
Que não se conjugou.

Não refiz meu roteiro,
Não desisti primeiro
Da paixão que me é rara
A mala continua na sala
Amá-la, falo em tua cara.

Mas do que adianta
Falar ao mundo, e a paixão
Propagá-la
A mala continua feita
Amá-la tornou-se minha religião, seita.
A mala sem etiqueta.
Meu pecado, minha oração
Minha culpa, meu perdão.
E minha alma escancara,
A mala esta na minha mão
Amá-la esta na minha mão
Minha decisão

Gilson Costa

Escolhas



Entre todas as rosas do jardim,
Escolhi a mais bela e a com mais espinhos
Entre todas as estradas que ha
Escolhi a qual existia mais pedras no caminho
Entre todas as estrelas do Céu
Escolhi a que estava mais distante
De todas as pedras raras
Escolhi o mais cobiçado diamante...

Entre tantos amores
Aquele que me completava
Entre tantos sonhos
Escolho aquele que eu desejava

Fiz as minhas escolhas
Mas parece que de nada valeu
Meu caminho não é o teu
E assim a vida continua
Porque EU
Não fui uma escolha SUA

Gilson Costa

Onde tú começas e eu termino?


Onde tú começas e eu termino?

Onde eu começo e você acaba?
eu ja não sei mais nada
meu sentimento comum
é que somos apenas um...

Almas, uma só extensão
entãoo que será de mim?
hoje é teu minha vida e meu coração
onde tu começas? e onde sera o meu fim?

Almas presas por um sentimento
viramos um só corpo nú
não me importa o questionamento
onde eu termino e começa tú???

Mas se quersaber a verdade
que dure toda eternidade
e que não haja separação

Pois na realidade
me fundir a uma Deidade
é um presente, é uma benção!!!

Gilson Costa

NOSSO ENCAIXE



Como por em palavras, os nossos atos na cama
é desejo, arrepio, é o cio que me inflama
um encaixe simetricamente perfeito
é uma dança, nossos corpos e o palco é nosso leito


E o dizer do efeito do seu gostoso gemido
Filarmônica de Berlim, Musica para meus ouvidos
e quando dentro do teu corpo fico
tenho que conter meu tesão, tenho que conter meu grito


uma perfeita obra de arte, somos nós, o nosso encaixe.
Contra todas as leis da física, em prol das leis do universo,
somos eu e vc, opostos, inversos,
mas que quando juntos e apaixonados,
em cima, embaixo, lado a lado, somos únicos, somos enamorados


Grito de desejo e de puro desespero,teu jeito menina sapeca , meu tempero
e minha alma que então grita e teu olhar e beijo mole me atiça
te peço para se abrir mais ,para que eu entre em teu querer
assim busco a minha paz encontrando-a dentro de você


e toda vez que te possuo perco meu chão, meu rumo
só não perco o desejo de ter mais sempre teus beijos
e das historias de amor nem Romeu nem Julieta nem Orfeu
prefiro a nossa, o meu corpo sobre o teu


e meu corpo sobre o teu é arte divina e esta escrito
deslizo pra dentro de ti sem resistência e nem atrito
e quando estamos no ápice o UNIVERSO fica mais bonito


Gilson Costa

A PALAVRA SE CALA


A Palavra cala
abstrata, nula
não se expande...
e eu aqui a analisa-la
e a Palavra se cala
Estico-a, absorvo-a
por ela perco minha fala
e a Palavra se cala
Insensata, mundana
soberana
tento eu decifra-la
ea Palavra se cala
Olho, analiso
Praguejo e bendizo
tento orienta-la
e a Palavra se cala
Esqueço- a, abandono
e deixo ela para o nada
e a Palavra se cala


GILSON COSTA 09/2007

POESIAS MITOLOGICAS - Genealogia dos Deuses Gregos – Parte I


São tantos filhos...tantos Pais
Que isso poderá levar meses
E assim saber quem é quem
Na Genealogia dos Deuses


Deuses do amor e da guerra
Fazem parte desta Mitologia
Deuses da morte e da Terra
Que já dominaram o mundo...um dia


E Gaia veio do Caos
O principio de tudo
Tártaro, Eros e Nix (Noite)
Foram o inicio do mundo


De Gaia veio o Céu (Urano)
As montanhas (montes) e Pontos (o Mar)
E veio monstros também (Tifão)
Para mais caos na vida criar


Gilson costa 09/2007