quinta-feira, 17 de março de 2011

NÃO NASCI POEMA



Não nasci poema, mas sou propenso
À palavra que passa como um cometa
Do que poema sou bem menos intenso
Sou a palavra crua que me dá na veneta

Vago de versos, apenas um poeta pretenso
Sou quase só aquele que mexe a caneta

Não nasci poema, mas sou propenso
À palavra que passa como um cometa

Que com fulgor de rasgar um vazio imenso
De parir uma estrela ou destruir um planeta
Com a força que leva cada palavra que penso
Desde que a toda essa poesia não comprometa


Não nasci poema, mas sou propenso...

Denise Severgnini
Marcos Lizardo

http://silviamota.ning.com/profiles/blog/show?id=5503497%3ABlogPost%3A43550&xgs=1&xg_source=msg_share_post