domingo, 13 de março de 2011

Castigo


Prenderei teus lábios nos meus
Com a força dos meus sedentos beijos
Moles, molhados e sacanas
Que darei em você na nossa cama...

Calarei tua boca colando minha boca na sua
Você minha, toda nua assim o beijo mole, continua
Emudecerei teu corpo, sob e sobre meu
Dilatarei seus sentidos com os meus

Movimentos,  extasio-a com nosso êxtase conjunto
Teu corpo será minha casa
Possuirei-te feito minha escrava
Amordaçarei minhas mãos nos teus cabelos
Embriagarei teu ser no meu cavalgar
Renasceremos ao nos amar.

Vou me perder em teu desejo
Laçando-a em meus abraços
Vou te torturar em nossos amassos,
Dando menos do que me pede
Domando o desejo que te impele
Arranhando toda a sua pele
Marcando assim os meus domínios
Serei teu homem, teu macho, não teu menino.

Serás minha serva
Minha seiva, meu divino alimento,
E ira alimentar-me a todo momento,
Saciar minha fome de você
Que para acabar, nunca terá um tempo

Gilson Costa