segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

“Mas não venha me roubar outra vez”



Mas não venha me roubar outra vez”

Talvez eu já não tenha sentimentos
Aventureiros, de capa e espada.
Intergalácticos ou de faroeste...

Talvez eu precise hoje da calmaria
Da certeza de um beijo, de um abraço.
“O guerreiro descansando em seu regaço”...

Talvez...

Mas o coração, este pobre menino iludido.
Acha quem sempre há jeito
Nem tudo esta perdido...

Tenta colocar uma capa,mesmo sabendo que dói
Joga-se do mais alto pico, bancando super herói...

Sorrateiro ele te invade, domina, saqueia
Leva todos os tesouros teus, ate o fim...
Um roubo que nunca foi feito...
Roubar-te de vez pra mim...

Talvez meu golpe mais que perfeito

Gilson Costa