terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Amo todos os meu amores



Amo todos os meu amores
Mas um amo mais que outros
De forma diferente
Uns sinto saudades
Outros, as vezes, quero presente,
Uns amo com o coração
Outros apenas com a mente...

Uns não viveria de novo,
Outros, não sei, de verdade
Talvez em alguns, algo eu mudasse
Em outros, não mexeria
Nem na intensidade,

Sabendo agora o que sei
Tentaria concertar onde errei
Talvez não cobrar demais
Quem sabe encontrar a paz
Em braços que so traziam a guerra
Ter os pés, mais na terra...

Há amores que insistem em ficar
Deixando o perfume no ar
O sorriso e aquele olhar
São mais intensos que outros
Tatuados em nossa pele
As vezes, como disse, fere

Mas fazer o que afinal
Sou apenas um simples mortal
Que tem esta opinião
Amores que foram e virão
Alicerçaram meu ser
E se na minha vida passaram
É porque tinha de acontecer...

Gilson Costa