domingo, 6 de maio de 2012


Nasceu para ser tempestade,
Daquelas boas
Que adubam que lavam a alma
Naquelas que gostamos realmente
Nos molhar...
Mas contentava-se em ser uma garoa!

Nasceu para ser arco-íris
Iluminar e enfeitar todos os céus
Fazendo a gente ir
Atrás do pote de ouro
Mas contentava-se em ser uma estrela
De uma fria e pálida luz!



Nasceu para ser jardim
Confluência de varias flores
Aromatizando nosso ar
Mas contentava-se em ser um cravo


Arrasando em sua paixão
Todas as nossas margens
Desaguando em um vasto oceano
Mas contentava-se em ser um simples riacho
Sem profundidade ou correntezas

Tinha tudo para ser
Mas contentava-se com o quase
Nasceu para ser mais do que é
Mas se contentava em ser
Aquilo que nunca foi, aquilo não é...

Gilson Costa

Nasceu para ser rio caudaloso