sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Sou apenas a resultante dos meus amores

Filhas, fatos, dias, palavras, poesias...
Mulheres, paixões, vindas e idas,
Presente, passado, coisas da vida.
Composta de alegrias e as vezes dores,
Sou apenas a resultante dos meus amores.

Do ódio, das horas vadias, passadas.
Das lagrimas, solidão e das boas risadas,
Do espinho e do perfume das flores
Sou apenas a resultante dos meus amores.

Amores que me tocaram, alguns me feriram,
Deixando cicatrizes que o tempo não cura
Mostrando-me uma estrada penosa e dura,
Expondo meus segredos e meus piores temores,
Sou apenas a resultante dos meus amores.

Amores que estão e que ainda permanecerão
Aquilo que deixo guardado no coração
Sonhos, significados fortes, belos,
Muralhas, fundamentos sólidos dos meus castelos,
Que no meu fim não se transformarão em vapores,
Sou apenas a resultante destes amores...

Gilson Costa Brito