domingo, 30 de janeiro de 2011

Inconseqüente by (Sirlei L. Passolongo)

 
Inconseqüente

Se amar é veneno...
Gosto dos venenos
Mais amargos

Cujos frascos
Me lembrem perfume
Aromatizado
Com amor e ciúme

Se amar é fogo...
Gosto da paixão
Que incendeia.

Tragada
Feito um gole de conhaque
Em que a língua
Faça da boca uma ceia
E o fogo do corpo...
Apenas a saliva apague

Se amar é pecado...
Gosto dos pecados
Mais ousados

Em que a alma
Se devore em gozo
E o corpo adormeça
Extasiado...
E o céu alcance
Num beijo apaixonado.

(Sirlei L. Passolongo)


Direitos Reservados a Autora