sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Deixo...



deixo
que teu olhar me toque
que teu toque me provoque
ao provocar me sufoque
e me deixe em choque
deixo
que tua boca me beba
tua mão me toque
com toque de seda
que seu corpo o meu compreenda
ser você realidade e não lenda
deixo
em meus lençois macios
aquecer todos nossos frios
e no meu de nossos arrepios
preencher meus espaços vazios
Gilson Costa