sábado, 29 de janeiro de 2011

Minha Poesia:



Minha poesia rasteja.
Não acha fuga na cerveja,
Nem na mulher que me beija.

Minha poesia reclama.
Não se alivia na cama
Nem na mulher que me ama.

Minha poesia chora
Não se diverte na bola,
Nem na mulher que me adora.

Minha poesia é feitiço
Eu não apelo pro vicio
Nem da mulher eu desisto.

Minha poesia é bonita
Me reencontro com a vida,
E retribuo a mulher querida.

Gilson Costa/Wellington Martins