sábado, 25 de setembro de 2010

Mulher Poema


Vem, mulher, pra mim, que eu te faço
Uns versos tão mansinhos e tão cálidos,
Que, mais do que musa, Vênus te sentirás.


Vem pra mim inteiramente, que eu renasço,
Vem, que eu me faço uma fonte de vida
Inesgotável, descomunal.


Vem pra mim sofregamente, que eu te torno
singular em cada verbo
e tão deusa em cada verso,
e tão linda em cada olhar!


Vem comigo viver toda a lindeza
de um passeio pelas ruas,
de um afago em cada esquina,
de promessas ao luar.


Vem, mulher, que eu te faço tão bela,
que eu te quero tão minha, te faço encantada,
que eu te quero tão doce, te faço tão lira!...
Vem, mulher, que eu te quero poema.


Barão da Mata