sexta-feira, 10 de setembro de 2010

CONCURSO




É MINHA PRIMEIRA POESIA
ENCHO-ME DE FELICIDADE
ME PERCO EM UMA QUESTÃO:
QUANTIDADE OU QUALIDADE ?

É MINHA SEGUNDA POESIA
A INSPIRAÇÃO ME CONSOME
ME DEDICO AO VERSO
COMO SE FOSSE MEU SOBRENOME...

É MINHA QUINTA POESIA
JÁ FALEI DE SONHO E DE AMOR
MAS O TEMPO NÃO É MEU INIMIGO
ME ENTREGO A ARTE COM ARDOR

É MINHA DECIMA POESIA
HÁ MUITA BITUCA NO CINZEIRO
NÃO DESISTO TÃO FACILMENTE
POIS QUERO SER O PRIMEIRO

E MINHA VIGÉSIMA POESIA
ESCREVO AGORA A DERIVA
NÃO ME PERCO EM MINHAS PALAVRAS
JÁ ESTOU PERDIDO EM VIDA

É MINHA CENTÉSIMA POESIA
ESCREVO PRA CHEGAR NE FRENTE
JÁ ESCREVI DE TUDO UM POUCO
JÁ VASCULHEI TODA MINHA MENTE

É MINHA MILÉSIMA POESIA
COMEÇA-ME A TREMER OS BRAÇOS
A FOLHA CONTINUA BRANCA
A ESPERA DE MEUS TRAÇOS

EU JÁ PERDI A CONTA
DE NA QUAL POESIA ESTOU
FALEI DOS AMIGOS QUE TIVE
E DA VIDA QUE PASSOU

FALEI DOS AMORES
DAS DORES
DOLORES ????
NEM ME LEMBRO MAIS

FALEI DA SAUDADE
IDADE
FELICIDADE
E TALVEZ DOS MEUS PAIS...

JÁ FIZ MAIS DE MIL POESIAS
ISTO JÁ VIROU UM VICIO
A ULTIMA DÚVIDA ME PERSEGUE:
PORQUE MESMO EU COMECEI TUDO ISSO ????

GILSON COSTA