domingo, 26 de setembro de 2010

Linha tênue


Ando pela linha tênue das minhas virtudes
E dos meus pecados...Não me tente...
Para cruzar esta fronteira
Não é preciso muito esforço
Tua boca em mim
Minha mão em teu corpo
Sem nenhum sacrifício
Faço de você meu vicio
Não me invente
Sou fera adormecida
Pronta para te devorar

Gilson Costa