sábado, 4 de setembro de 2010

Mergulho

Gosto de mergulhar em mim
Mas temo que algo me aconteça
Me tornar paralítico das idéias
Batendo, em uma pedra a cabeça

Gosto de mergulhar em mim
Mas temo minha obscuridade
Me perder dentro do meu ser
E perecer na própria profundidade

Gosto de mergulhar em mim
Em busca dos meus ouros,
Mas temo encontrar na alma
Só escombros e não tesouros

Gosto de mergulhar em mim
Mas temo e temendo me envergonho
De não encontrar as belezas
Só destroços dos meus náufragos sonhos.

Gosto de mergulhar em mim
Desvendando mistérios de minha vida
Mas temo me afogar nas angustias
Que a deixaram a deriva.

Gilson Costa