domingo, 19 de setembro de 2010

Coracao Calado

Quis fazer uma poesia
Só, para passar o tempo
Pra esquecer o dia-a-dia
E sonhar por um momento.

A inspiração não veio
E a busquei no coração
Ele sim estava cheio....
Mas não disse um só refrão

Perguntei -Oh! Coração
Por que não me dizes nada
Ele responde então :
- Não é falta de palavras,

Acontece companheiro
Que coração é preciso
Ser usado por inteiro
Ou acaba enrijecido

Confesso-te sinceramente
Você me decepcionou
Não amou seu semelhante
Como um dia alguém te amou

Não fez conta dos velhinhos
Das crianças, dos carentes
Nem transmitiu esperança
A quem andava pendente.

Só chorou com que chorava
Sem tentar faze-lo rir
Não amou quem te odiava
E errou muito por mentir

Pois falou da bíblia aos seus
Ao passo que andava armado
Uma vela ascendeu a DEUS......
Mas outra, ascendeu ao diabo

Me sentindo por terra,
Eu tentei me defender:
-Ora, todo mundo erra
O que se há de fazer ?

Meu coração já com descrença
Então me perguntou,
Qual era a diferença
Do perdedor pro vencedor

Procurando resposta longa
Não sabia o que falar
E ele me respondeu
De forma linda e elementar

Vencedor, disse ele,
É que aprendeu com os erros
E perdedor é aquele
Que sempre tropeça nos mesmos

Eu chorei arrependido
Querendo recomeçar
Eu não havia cumprido
A lei sagrada do amar.

Meu coração chorou também
E disse: -Oh momento nobre
Se teus erros eram cem
Agora são noventa e nove