quinta-feira, 21 de junho de 2012

Sempre: Palavras




Palavras,
nascidas, proferidas
não tem mais Senhor
dono e nem proprietário


Uma vez pronunciadas
ganham o mundo


Em versos
transformam-se de todos


Não falam de um amor,
mas de amores
de dores, de sorrisos 
tristezas universais
perdem-se
seus direitos autorais...


Palavras
doces, suaves
as vezes, amargas
rasgam mais 
que espadas....


Curam e abrem feridas
estampam o livro de nossas vidas
tornam-se estradas escuras
ou avenidas floridas


Palavras


Companheiras
Inimigas
Amorosas
ou cheia de intrigas.


Palavras


Gilson Costa