domingo, 10 de junho de 2012

Devolva a minha liberdade


Por favor,
devolva a minha liberdade,
que se prendeu
a intensidade do teu olhar
a intensidade de tua vida...
Quem sou eu? Ja não sei!
O que restou de mim fora de você? 
Ja não sei de mim, porque hoje sou você!
Minha vida é tua, minha alma é tua
meus segredos e meus medos,
tudo esta em ti!
E o teu perfume que me persegue pelas ruas,
ah como eu queria brigar com as mulheres 
que roubaram a fragancia tua...
Devolva a minha liberdade
para que eu possa te amar, por te amar
e não temer te perder,
pois na realidade não quero me encontrar...
Devolva a minha liberdade
para que o tempo possa voltar a passar 
e os minutos que estou longe de você
não fiquem a pesar,
Quem sou eu? 
Pra onde vou?
Senão para os lugares onde você deve estar...
Devolva a minha liberdade
para quem sabe assim eu possa
aprender a te amar 
sem sofrer, nem chorar...


Gilson Costa