domingo, 25 de março de 2012

Despoetizando



A lua surgiu em um Céu frio,
A vida perdeu-se na curva do rio
A noite virou meu desafio

Vou deixar as palavras me afogar
Poesias sem rimas... Criar
E pela estrada caminhar

Do que vale meu olhar...
Que não tem para onde olhar

Vou despoetizar

Respirar este impuro ar
Andar sem rumo para chegar

As estrelas já não irão brilhar
Frutos não irão brotar

Vou-me despoetizar

Deixar para trás coisas a falar
Sair da guerra com o coração a sangrar
Vou deixar as palavras me afogar
Saudades não vai me matar
Mas também não há nada
Que faça esta dor passar

Vou despoetizar...

Juntar meus pedaços, tentar me colar

Gilson Costa