quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Sou seu mal necessário


Na palavra que para na garganta

Em sua idéia pura... Quase santa!
Eu sou o menino que te encanta.
E quando a vontade, o vicio, toxina
No meu beijo encontra a própria vitamina
Eu sou o moleque que te fascina
E ao pecado foge, esquece
Tenta se agarrar em uma prece
Eu serei o homem que te enlouquece

Sou sua divisão que sempre soma
Sou seu veneno que te traz a cura
Sou sua paixão que você não doma
A intensa razão de sua loucura

Eu sou a definição que não tem nome
Aquele que produz e sacia tua fome
Sou mais que seu simples relicário
Sou os dias mais quentes do teu calendário
Enfim eu sou seu mal mais que necessário!



Gilson Costa