quinta-feira, 27 de outubro de 2011

O amor persegue...!


O amor per – segue
Acerta a bagunça das coisas
Bagunça as coisas acertadas
Segue em viver, segue para morrer.
Morre em corações, vive em ausência,
E de repente, não mais que de repente
Esta o amor no teu ser.
Seja como for
seu ser inserido no amor....


Meu amor já foi livre, já foi escravo
Já voou bem alto e já caiu
Conheceu novas terras,
Teve paz, mas teve muito mais guerra
Em si renasce, em si se encerra!
Cansou de se perder e de se achar
sim, também cansou de lamentar!!!

”Teu mundo é muito grande, mas não cabem deslumbrados”
Meu mundo se expande, cabem tanto sonhadores,
Mesmo os que estejam acordados
Ta certo, vai ficar meio apertado...!

Plantei tanta coisa que eu quis
E que também não quis
Encontrei na colheita muitos ardis
E o fogo que ardia, a chuva fria.
Fez questão de apagar
Talvez só uma brasa ínfima
Insiste em queimar!!!
Amor, amado, amando.
Combustão, nunca irá faltar...

Se o amor chegou por eu ser assim
Porque mudaria algo em mim?
Ta certo, ficamos cego ao sentimento.
E quando vemos, com o tempo,
Esta lá outra pessoa em nosso lugar,
Não aquela que um dia
Por qual viemos a nos apaixonar
Só que esquecem algo que é quase um direito
Amor, também é amar defeitos!!!


E o amor é escravo e escraviza
Domina com pulso forte e suaviza,
Cordas nos prendem alma e coração.
Tem suas intricadas matrizes
E dependendo do aperto dos nós
Deixa a gente com profundas cicatrizes

O segredo do amor... amar
Querer naquele momento
Em que parece parado o tempo
Em que há intensa comunhão
Viver cada dia por vez
Não pensar nos “poréns”, no talvez,
Isso é insensatez
Deixar o “se” do lado do fora
O segredo do amor
Viver o agora!!!
Agora é o momento que insiste
“É o cantar, porque o momento existe”


Alçar vôos mais longos
Mais altos, feito um condor,
Isso também é possível
E mais prazeroso a dois
Quando submergido em amor

Partir... Bom, isso fica pra outro dia,
Quem sabe em outra poesia

Gilson Costa

Baseado na poesia de  Larissa Nascimento via Facebook