sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Quero um amor que não inventaram.



Não, amor, eu não entendo quando falam que querem alguém pra toda vida. Não entendo como conseguem planejar toda uma vida com alguém, como se toda a vida acontecesse em dez minutos. A vida é grande, não é? Há tantas estradas, tantas pessoas, tantos planos. Não sei porque vivem o futuro, e não o presente. Me disseram que era por medo do presente acabar. O presente nunca acaba, o futuro nunca chega. Por que vivem tanto o depois? Por que se prendem tanto na ideia do eterno? Não consigo entender nada disso. Promessas me deixam com medo, me fazem rir. Amor, conheço relacionamentos que duraram uma vida toda, mas eles não tiveram amor durante toda essa vida, como prometeram. Conheço amores que duraram toda uma vida, mas não havia um relacionamento. Todas essas definições me assustam. Eu não me encaixo em nenhuma delas. Quero um amor novo. Não sirvo pra viver amor já escrito e determinado. Quero um amor que ninguém tenha lido, ninguém tenha falado. Quero um amor que não inventaram.
Quero um amor que não cantaram no rádio