sábado, 22 de setembro de 2012

ANTÍTESES



Você é a minha dama, minha meretriz,
É a tristeza que me faz feliz.
É a minha luz e a própria escuridão
É a incerteza do sim, a constancia do não


É verso sem rima, é rima pobre,
Você me fascina, você tudo pode.
Sou o teu servo, és minha rainha,
Companheira ideal, mas sem tua companhia.


És minha verdade e minha mentira
Minha tempestade e minha calmaria
É o meu tudo que me deixa sem nada
És minha perdição, mas também és minha estrada


É minha doença e é a minha cura
Minha sanidade e minha loucura
É minha infância e minha juventude
É o meu pecado e minhas virtudes


Motivo das lagrimas e do meu sorriso
É o meu calvário e meu paraíso
É minha alegria com muito sofrer
É parte de mim e sem você, não sei viver...


Gilson Costa