domingo, 9 de setembro de 2012

Posse eterna tua



Ao ver-te me apresso
me entrego a este amor
que eu consumo, que me consome
Caio em sua frente
mesmo em riste
Rendendo homenagem a quem conduz,
meus desejos por teu
corpo por mim várias vezes conduzido,
Minha falsa autonomia, te pedia.
Minha carne ansiosa te buscava,
Cada palmo dela tateava para encontrar a tua
Oh! Senhor de mim.
Este vicio q m acompanha
aquele que preciso pra restaurar minhas forças,
Teu perfume, beijos, braços...
entradas perigosas aonde eu me perco
Me perco em você
sou pouco sem você
Para total satisfação de ti.
Sou suas vontades, seus quereres, seus desejos.
Me possui e qual vida em mim,
Ensina o que sempre quis conhecer,
Como te fazer sorrir na minha dor,
Como Te fazer me adestrar,
Me educar,
Me traduzir em únicas palavras
“Posse eterna tua” .
Desejo maior não há...