sábado, 8 de setembro de 2012

As palavras calaram-se em mim



As palavras calaram-se em mim
sumiram do meu ser..assim
quando dei por conta, escaparam
e as poesias em mim...calaram..
 
Não sai nada aqui de dentro
e olha, isso faz tempo
surgiu em mim um deserto
seco, vazio, isso eu sei ao certo
 
não ha mais palavras para beijos
para inumeros desejos
para a distante felicidade
ou para companheira saudade
 
esgotou-se meu alfabeto
não tenho mais dialeto
gastei todo abcedario
findou-se meu dicionario
 
tento e procuro uma fala
sinto-me dentro de uma vala
caneta, não consigo opera-la
então minha poesia se cala
 
gilson costa