domingo, 15 de abril de 2012

...MORRO, POR PARTES DE MIM...




A melhor parte de ti, ausente
É poder sentir-te…
…Ter-te, como te sinto… Iminente
A um passo de mim, respirar-te…

É como num trilho, seguir-te
Em suaves tons, tocar-te
Da boca ao ventre… inventar-te
Na exuberância das cores… Possuir-te…

É como banir-te e voltares, memória em esboço
Esperar-te na história, magia que me prende
Ouvindo a voz que até ti me leva, sem esforço

E sem tempo, sem culpa ou demora
… Tendo-te, assim, tão iminente
É no fim, que esta ausência de ti… me devora!

Rzorpa