quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Algumas saudades valem a pena cultivar.



Aquelas que nos abraçam em momentos difíceis ou não,
aquelas doces, carinhosas...
Tem as saudades amargas, mas estas, que doi
e machucam...deixamos-as pra lá.
Enfim, ha saudades que fazem bem,
saudades de detalhes pequenos, amenos,
nada grandioso, planejado, mas vivido
Costumamos nos agarrarmos nas saudades
de momentos intensos, mas são os outros
momentos que deixam marcas profundas.
Um sorriso, uma conversa, um local,
na hora nem damos valor ao instante, porque
é somente um instante, mas depois este mesmo instante volta,
la estamos nos suspirando no meio da rua
ou coma quele sorriso idiota na cara...

Tudo isso me leva a pensar que se preocupássemos
menos em viver as intensidades e vivêssemos o instante,
quem sabe seriamos mais felizes.

Em vez de buscarmos a beleza da Lua quem sabe admirar no brilho fugaz 
de uma estrela...

E há pessoas que tem o dom especial de nos proporcionar instantes únicos,
que depois tornam-se intensos em suas saudades. E são estas saudades que 
chegam que nem ondas e que fazem acreditar que a vida sempre vale a pena e que
somos melhores e maiores do que nossas dificuldades...

Saudades...

Gilson Costa