quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Que venha este tal de amor...


Que  venha logo,
sem medo e receio
sem traumas, nem pudor,
mas que venha amor,
pleno e constante
nem que seja
pela eternidade de um instante

Gilson Costa