quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Abraço

Caloroso, envolvente
Nele cabe o mundo da gente
E encontramos proteção
Abrangente, não existe um indiferente
Quando feito de coração

Porto seguro para nossas dores
Muitos são frutos de amores
Acabam com nossa solidão
Dádiva divina... Uma benção

Terno, segundo que fica eterno
Carinho que nos da calma
Bom no verão e no inverno
Principalmente quanto atinge a alma

E ela se faz emaranhado, se faz laço
Nele descansamos nossos cansaços
E o próprio, apesar de apertado, contém tanto espaço
Nada custa pra quem dá e nem para quem recebe
Um afetuoso e sincero “Abraço”

Gilson Costa