sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

BENDITO PECADO!



Benditas sejam as curvas
que percorro nesta estrada
bendito seja o calor
que nos queima na jornada

bendito seja seu cheiro
misto angélico e infernal
como bendito é o licor
da sua fonte divinal.

Bendigo vales e montes,
gêmeos, me ofertados;
bendigo a boca molhada
que à minha fica colada

bendito dentes cravados
seus lábios rubros inchados
e bendita seja a dor
que suas unhas no furor

do amor profano e sagrado
no meu dorso faz riscados
traça o mapa imaginário
do que me é santuário

paraíso e minha igreja;
e por fim bendita seja
com seus gemidos e gritos
bendito, mais que bendito;

bendito corpo suado!