terça-feira, 16 de novembro de 2010

De repente deu uma saudade do que eu não tive...

De repente deu-me uma saudade do que não tive, do que já fui e do que euixei para trás...

Deu-me uma saudade de palavras mais amenas, de mais sorrisos e de mais amor...

Deu-me uma saudade de doce, de molecagem, de brincadeiras e sorrisos em meio ao sexo, em meio á vida

De repente deu-me uma saudade de tudo e de nada.
Deu-me uma saudade de perfume. Das curvas, geografia, de tudo que era pra ter sido e nunca vai ser

De repente deu-me uma saudade de mim...

Sim...porque me perdi por caminhos e estradas que não me levam a nada, implorando o amor, feito migalha, e trancando meu vasto universo na singularidade de alguns pobres versos.

Por troca de beijos que não acalmam meus desejos. Deu-me uma saudade do que fui, do que era antes de começar a brincar ou tentar entender...o amor...!

De repente deu uma saudade do que eu não tive...


Gilson Costa