terça-feira, 20 de novembro de 2012

Seu nome é saudade



Pediram para mim
uma poesia
e ela não vinha.
fiquei triste
porque minha mão
nada escrevia.
Dormi e em sonhos
as palavras vieram
em enxurradas
poesias, versos
e baladas
inundavam minha alma
banhavam-me
sutilmente
acariciavam-me
Minhas companheiras
de vida plena
cheias
de amor e carinho
completas
de alegrias
fazendo em mim festas
e quando acordei
na minha nova aurora
mais maduro que outrora
a poesia veio feito
trovão
direto do meu coração
intensidade e calma
amor e paixão
Então resolvi deixar
estas palavras
para eternidade
à minha poesia dei nome
e o seu nome é
Saudade.

Gilson Costa 4.2