sábado, 10 de novembro de 2012

Artesão de almas



obscuras, escuras

desacreditadas
quase um nada
pedras brutas
a serem lapidadas
tesouros escondidos
amores bandidos
que em minhas mãos
moldam-se
artesão!
Apagadas
esquecidas
mal amadas
vidas divididas,
as vezes
acerto no que digo
mesmo sem saber
para onde eu mesmo sigo!

Gilson costa