quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Misteriosas manhãs



Pisei numa serpentina jogada na rua em plena manhã de
uma quarta feira de Novembro.

Em uma rua longe de qualquer salão de festa...

O que estaria ela fazendo ali, solitária.

Insondáveis segredos da vida, por onde andaria
o confete que a acompanha sempre;
esperando o carnaval?

Seria a serpentina, uma apressada querendo aproveitar
tudo que pode antes do fim do mundo?

Vai saber, só sei que provavelmente se eu retornar por aquele
caminho ela não estará mais lá, será lixo ou quem sabe vai parar
em alguma reciclagem para virar outra coisa e ter mais alguns instantes de vida... (vida loka, “serpentinando” em pleno Novembro!)

Gilson Costa

PS- Sei que nos dias de exposição da figura em massa, eu deveria ter tirado foto desta ousada serpentina que desafiou a lógica da vida... (que lógica mesmo?)