quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Carências



Há carências no mundo, carências de sentimentos, de companhia, de envolvimento...
Bebemos da mais pura fonte de companheirismo e mesmo assim nos sentimos sozinhos...
A ânsia de viver o amanhã, nos faz cheios de emoções e vazios de atitudes e pensamentos, a pressa em sentir, em fazer, a urgência de coisas que somente o tempo
Tem direito a tornar maduras, nos leva a situações limites.

Há carência no mundo, porque o amor que se oferece por ai, à kg, fast food e a revelia é um amor instantâneo, amor de 140 caracteres, amor prato feito para o momento, já que há a carência e temos que alimentá-la.

E aqui falo do amor carnal, de um sentimento que muitos banalizam, muitos poetizam e poucos sabem vivenciá-lo em sua plenitude vivendo o hoje e sem medo de ser feliz amanhã...

Há carências no mundo, porque o mundo exige de nos mais do que somos ou podemos e se não nos enquadramos nestas exigências o mundo nos cobra. Qualificamos, quantificamos, enjaulamos, enquadramos, enfim metrificamos nossos sentimentos para que caibam dentro de uma relação...

Há carências no mundo, porque não conseguimos tentar sermos felizes sozinhos, nem tentamos, pois sempre precisaremos de uma base, de uma apoio, as vezes de uma muleta, tudo para que caso a gente caia ter algo ou alguém a quem culpar, já que os erros são dos outros!
Não que sejamos uma ilha, mas primeiro devemos cuidar de nossa terra, acalmar os nossos mares para que ai sim ir buscar outro continente que adicione valores em nos.

Mas nao somos nos os culpados de colocar a nossa felicidade e vida nas mãos de outras
pessoas ou em outros sonhos, outras promessas... Não, nunca. As pessoas que são culpadas por não nos fazerem felizes, por não viverem nossos sonhos e nem cumprir
as promessas feitas...

Há carências no mundo... Alimento mau as minhas que crescem famintas devorando cada resquício de minha alma, o que me salva...? A poesia, talvez!!!

Gilson Costa
@gilsoncosta42