sexta-feira, 9 de julho de 2010

Minhas Palavras






















Minhas palavras...mortas
costuras mal feita...rotas
construção..calamidade
que envergonham-se
perante um A de Drummond de Andrade


Paisagem em plena seca
com sua força, calor e beleza
cenário verdadeiro
que cai por terra
mesmo não estando em guerra
perto de um Rio de Janeiro


Palavras postas, jogadas no papel
que inutilmente tentam
dar sentidos aos meus AIS
mas que se calam diante das divinais
letras de um Vinicius de Moraes


E quem diria então
que ate uma Ucraniana plantaria
e bem..a rate neste nosso chão
é o que o povo me disse
Ai de mim...
Por não nasce Lispector
pro não nascer Clarice...


Mas vim assim, com meu jeito
A escrever sem rodeios
As vezes sem métrica, sem freio
Os desparates dos corações alheios
Não nasci Drummond posto que sou daqui
Nem Vinicius com toda sua bossa
Ainda sou menino, realmente na pureza não cresci,
Prazer, Gilson Costa


Gilson Costa