quarta-feira, 25 de julho de 2012

Me



O pronome pessoal “me” é possessivo, de obliquo nada tem.
É urgência, é grito em pleno silêncio, é carência.

“Ame-me”, é pressa, é ordem, é vontade.

“Possua-me”, é desejo imperativo, é fome.

“Me” é intensidade, é agora e sempre, sozinho é nada,
Não complementa nada, acompanhado é verbo de ação.

Abrace-me, é carinho, é proteção, conjugação do corpo
Para o verbo amar, “me” é exclamação!

Dois pontos, “me” é primeira pessoa no singular
Á procura de um plural...

Gilson Costa