sábado, 18 de agosto de 2012

Redoma


Silêncio, aqui dentro
de minha redoma de vidro
nada me atinge
o calor, o corre corre da cidade
aqui eu, na solidão
mas sem saudades
um horizonte que descortina
enche de luz e paz
minha alma, minha retina
Aqui do topo do mundo
sinto-me protegido
longe de tudo
sem mentiras nem segredos
enfrento meus medos
contemplo o por do sol
sem nehum disfarce
com um doce sorriso na face


Gilson Costa