terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Entre as aspas e o coração (As melhores cenas, somente)

Começo a preparar o meu possível
sem nenhuma certeza, sem culpar
ninguém ou buscar mais do que as
minhas mãos podem segurar.

Guardei os planos na gaveta, pendurei

o tempo no cabide. Estou assombrada
pela beleza da vida, pelas coisas que já
tinha visto e esquecido.

Estou construindo o meu corpo com

pedaços de candura, com saudades
e lonjuras, com essas coisas que são
quase divinas e impróprias para maiores.

Ficarão apenas as melhores cenas, sem

censura ou corte e quando tudo estiver
terminado, não vou estar mais forte.
Vou estar é cometendo "doçuras"


Karla Bardanza