sábado, 31 de dezembro de 2011

Poesia de um novo ano...

Existirá dor, tristezas, decepções, assim como existirá alegrias, amor, amizades.
Faz parte, que eu esteja preparado para tudo, amém




Descortina nas próximas horas,
Mais uma pagina a ser preenchida
Desta historia ainda não acabada
Que chamamos de vida...

Não quero conto de fadas
E chega de garranchos, rabiscos
Quero luz, poemas pulsantes
Não desejo menos que isso

Quero vírgulas e exclamações,
Os riscos, correr muito mais
Não admito meio termos
E nem interrogativos pontos finais.

Nada de uma pagina em preto e branco
Nada de temer e tratar mal “o amor”
Quero luz, quero festa, intensidade
Quero toda variedade de cor.

Chega de brisa de tempo ameno
Chuva? Não quero na realidade
Quero manhã, madrugada, sereno,
Quero a mais intensa tempestade!


Quero escrever nesta nova pagina
Poesias de meu contentamento
E mesmo que vierem as lágrimas,
As lagrimas secam com o tempo

Na próxima curva, novo começo
A vida, minha companheira, ao meu lado
Seja no passo firme ou nos tropeços
Esperança – isso e VIDA diz – Que te ofereço

E que castelos caiam sempre,
E que sonhos morram no presente
Amores venham e deixem saudades doloridas
Estou apto a escrever minha vida!!!


Gilson Costa