quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Cura!



Sim, eu as vezes amo
Com até certa frequência,
Mas aprendi a me curar
E não deixar o amor
Virar demência


Gilson Costa