sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Poesia tem Nome e Sobrenome!





Cecilia era Meireles, Clarice nasceu Lispector, Carlos mais imponente era Drummond de Andrade,
Pablo tornou-se Neruda, Miguel foi de Cervantes e Jorge foi Amado!

Fernando virou Pessoa, Friedrich é o confuso Nietzsche,
Mario é o tal Quintana, a Florbela é Espanca.

E musicalmente falando, Noel era Rosa, 

Paulo virou Leminski, Cora, coroou-se Coralina, Manuel fez-se Bandeira,

Arnaldo porque não Antunes, dos céus Augusto é dos Anjos e Catulo apaixonado da Paixão Cearense,Gonçalves apareceu Magalhães, Gonçalves teve seus Dias, Francisco é Buarque de Holanda... 

Assim como Noel, João é Guimarães e também Rosa... 

Há tantos Silvas, Barbosas, Teixeira e outros mais, poesia está bem representada.

E há sempre quem gosta... 

Quem sabe um dia, nesta listagem, um iniciante rabiscador, Gilson

que é um modesto Costa, que não faz nada no grito e também é de nascença um Brito!

 

Gilson Costa