segunda-feira, 18 de julho de 2011

Vagabunda©


Vagabunda©



                                 Mulher que se transforma na cama
deixa de ser...a Dama
e passa a dominar meus desejos
me lambe, me enche de beijos
e em jogos de trapaças
em mim, faz arruaças

Me morde, me despenteia
a chama abaixa, ela alteia
não pensa nunca em parar
quer extrair de mim..tudo q tenho pra dar
sua vontade nunca passa
e em mim...faz arruaças

No ataque a cada momento
seu corpo em movimento
é tela pintada com maestria
acaba a noite, começa o dia
e a obra de arte nunca termina
seu prazer..me ilumina

Prostituta quando deve ser
faz teu homem gemer
                                        do profano ao sagrado
cada gota sua  eu trago
em troca me das o que de melhor tem
as caricias e posições que lhe convém
tento me esforçar e te dar prazer também
que os anjos do céus, fechem os olhos, mas digam amem

Mulher , fêmea no cio
e eu um cão vadio
paixão que me inunda
por ti..minha vagabunda
que se esconde durante o dia
mas a noite nada de monotonia
somente a sensação mais profunda
te quero...assim 


Vagabunda

Tentei te decifrar
saber o que esta a pensar
e de onde és oriunda
mas fico aqui a calar
apenas a admirar
teu jeito, assim 


Vagabunda

Gilson Costa - Baseada na Poesia Vagabunda de Lu Macário